O Encontro Com o Grande Vazio


                                                                                                                  Joaquim Luiz Nogueira

É algo angustiante, sensação de estar no nada, porém, como o ego ainda não está preparado para este mergulho no grande vazio, logo, este sentimento nos proporciona certo distanciamento entre a maneira como preenchemos nossa mente com as diversas ocupações rotineiras e a percepção de uma existência enquanto ser de um mundo autentico, denominado pelos budistas como, o puro vazio, lugar da “luz clara”.

O Dalai Lama argumenta que os estagiários de ioga tântrico precisam perceber o vazio da existência inerente antes de prosseguir para a "mais alta iniciação do ioga tântrico"; perceber o vazio da existência inerente da mente é a "mente inata fundamental da luz clara, que é o nível mais sutil da mente", onde todos os "processos energéticos e mentais são retirados ou dissolvidos", de modo que tudo o que aparece à mente é "puro vazio". Da mesma forma, o vazio está "ligado ao vazio criativo, o que significa que é um estado de completa receptividade e iluminação perfeita", a fusão do "ego com sua própria essência", que os budistas chamam de "luz clara". https://pt.wikipedia.org/wiki/Vazio_(sentimento)  

A rotina dos seres humanos são responsáveis desde a sua infância pelo preenchimento do tempo, desta maneira, a mente é ocupada por tarefas que envolvem o movimento do corpo. Tais ocupações são criadas ou inventadas para nutrição do corpo, enquanto a mente, com base nesta demanda material, arquiva na memória uma gama de elementos prazerosos e traumáticos, cujo encontro com o vazio autentico, provoca uma sensação angustiante de perda ou de sofrimento.

Na entrevista de Thubten Chodron em 2005 com Lama Zopa Rinpoche, o Lama observou que "...seres comuns que não perceberam o vazio não veem as coisas como semelhantes às ilusões" e não "percebemos que as coisas são meramente rotuladas pela mente e existem por mero nome".[19] Ele argumenta que "quando meditamos no vazio, lançamos uma bomba atômica sobre esse [senso de] eu verdadeiramente existente" e percebemos que "o que parece verdadeiro... não é verdadeiro". Com isso, o lama está reivindicando que o que pensamos ser real - nossos pensamentos e sentimentos sobre pessoas e coisas - "existe sendo meramente rotulado". Ele argumenta que os meditadores que atingem o conhecimento de um estado de vazio são capazes de perceber que seus pensamentos são meramente ilusões a serem rotuladas pela mente. https://pt.wikipedia.org/wiki/Vazio_(sentimento)  

 

Vivenciar o Grande Vazio sem os sentimentos angustiantes, significa um grande avanço mental em direção de uma realidade na qual podemos nos sentirmos como parte de um universo livre de qualquer ilusão, sem a noção de tempo e de espaço. Para o Taoismo, é a sensação denominada como “espelho do universo”

 

No taoismo, atingir um estado de vazio é visto como um estado de quietude e placidez, que é o "espelho do universo" e da "mente pura".[24] O Tao Te Ching afirma que o vazio está relacionado ao "Tao, o Grande Princípio, o Criador e Sustentador de tudo no universo". Argumenta-se que é o "estado de espírito do discípulo taoísta que segue o Tao", que esvaziou com sucesso a mente "de todos os desejos e ideias não condizentes com o movimento Tao". Para uma pessoa que atinge um estado de vazio, a "mente imóvel do sábio é o espelho do céu e da terra, o vidro de todas as coisas", um estado de "vaga, quietude, placidez, falta de gosto, quietude, silêncio e não-ação", que é a" perfeição do Tao e suas características, o "espelho do universo" e a "mente pura" https://pt.wikipedia.org/wiki/Vazio_(sentimento)   

 

No entanto, para a grande maioria das pessoas, a convivência com o Grande Vazio, mesmo que seja somente por alguns instantes, provoca angustias e sofrimentos capazes de movimentar o corpo, numa busca desesperada para preencher este oco, que parece lhe puxar para o abismo de um lugar sem sentido, sensação de dor e perda, devido a experiencia rotineira e apegos materiais, que fixam o individuo no mundo das ilusões.  

O FUTURO DO MUNDO “METAVERSO”: AVATARES E HUMANOS.

 

Fonte imagem: https://9to5mac.com/2021/10/28/facebook-officially-changes-its-name-to-meta/https://tech.fb.com/ar-vr/ 

                                                           Joaquim Luiz Nogueira 


“metaverso” - sua plataforma de realidade mista em funcionamento.

No logotipo de lançamento desta plataforma surreal, temos uma denominação  representada pelo  símbolo do infinito e logo a sua frente a palavra meta e se partirmos deste ponto para  nossa  tentativa de jogar com a multiplicidade de possibilidades que podem ser criadas ou construídas para ampliarmos coisas como realidade material,  imaginação humana e por último refletirmos sobre: as mentes livres que desenvolvem tais metas, nas quais, possuem potenciais de abrangências para navegações numa infinitude de mundos reais.

Este universo de realidade material e humana carrega toda uma gama de problemas, cuja solução, envolve também uma complexa e delicada rede de poder econômico que se apresenta de forma entrelaçada em todos os ramos da atividade humana no planeta, cujo lançamento de qualquer novidade tecnológica, não avança sem uma variedade de filtros impostas por grandes corporações do mundo conectado por interesses econômicos.  

Neste sentido, a plataforma promete oferecer “novas maneiras de experimentar trabalho, diversão, exercícios, entretenimento e muito mais” Portanto, o leque de possibilidades para o desenvolvimento de como aproximar produtos e espaços de pessoas, numa velocidade quase que instantânea, promete uma revolução no campo da comunicação entre produtores e consumidores.

Veja esta frase de lançamento da plataforma “Para refletir quem somos e o que esperamos construir. Tenho o orgulho de anunciar que nossa empresa agora se chama Meta” É na reflexão de quem somos no mundo real e na maneira de como agimos ao longo dos últimos séculos, em relação aos últimos avanços tecnológicos, no sentido de pensarmos sobre: quem foi beneficiado pelas grandes invenções da humanidade?  

No universo desta inovadora plataforma, segundo seus idealizadores, será “um lugar onde jogaremos e nos conectaremos em 3D. Bem-vindo ao próximo capítulo da conexão social” Este espaço de realidade prometida, só como um exemplo muito significativo para introdução do assunto, podemos recordar o primeiro Filme de MATRIX, quando Morpheus leva o personagem protagonista para a realidade virtual e lhe mostra a realidade com a frase: “Bem Vindo ao Deserto do Real”.

No entanto, a realidade aumentada a partir dos olhos humanos conectados ao equipamento de 3D, desenvolvido e projetado para fazer o encontro entre materialidade e virtualidade, isto é, mostrar ao usuário, um universo em que ele pode interagir com espaços e mundos virtuais, porém, com a possibilidade de tocar com as mãos os objetos e cujo cérebro do indivíduo, por não saber controlar o efeito placebo do gesto, passa a liberar emoções relacionadas ao produto ou ao universo visualizado.

Atualmente, os aparelhos tecnológicos “mergulham as pessoas em ambientes virtuais 3D”, porém, com os novos óculos 3D de realidade aumentada “as imagens são geradas por computador e as sobrepõe em sua visão do mundo”. Trata-se do encontro entre aquilo que observamos com nossos olhos e a realidade construída no computador.

A nova tecnologia de realidade virtual “nos permite explorar novos mundos, desafiar obstáculos e tentar o impossível. E graças à magia da presença - a sensação de que você está compartilhando o mesmo espaço com outras pessoas”

Para os idealizadores da nova plataforma de interação entre pessoas, agora “Ao incorporar interatividade e o ponto de vista literal do espectador, as experiências de RV reimaginam o papel do público como co-conspirador e agente ativo, em vez de simplesmente um participante passivo”.

Nesta nova forma de ver o mundo, “Você pode explorar o espaço sideral, entrar na história e se conectar com amigos”. Portanto, além do indivíduo poder caminhar por mundo imaginários (desde que projetado na memória do aparelho), também, poderá convidar os colegas para caminhar juntos em cenários virtuais.  

Neste contexto virtual no qual pode servir para encontros de pessoas reais, porém, como avatares perfeitos, sem doenças, livre de dores. Localidades que juntos com outras pessoas poderão praticar toda espécie de aventura neste mundo novo, já que não há perigo para o corpo físico. No entanto, para a saúde mental de adolescentes, jovens e até adultos, a rotina dos supostos avatares podem tornar-se muito mais interessantes do que a realidade.

Quando os idealizadores desta plataforma nos dizem que “podemos aproveitar essa tecnologia para gerar mudanças sociais significativas”. Não há dúvidas sobre as transformações que serão visualizadas e até sentidas pelas pessoas, que passarão a dividir suas 24 horas diárias em três etapas: sono, vida avatar e vida real. A forte tendência para que a vida virtual se torne muito mais atrativa para os indivíduos do que a vida real, que exige dele esforço, sacrifício, sofrimento, problemas financeiros, entre outros obstáculos que acompanha o corpo físico.

Nos novos aparelhos de realidade virtual, afirma os idealizadores que eles oferecem “a experiência mais envolvente possível. Controladores de toque totalmente monitorados com seis graus de liberdade trazem suas próprias mãos para o espaço virtual para uma sensação de presença ainda maior”.

São as novas sensações trazidas pelas próprias mãos mergulhadas na realidade virtual, que conecta o cérebro humano pelo efeito placebo e estimula a produção de proteínas ou substâncias por meio de células, aprovando a continuidade, a repetição e até uma possível permanência neste mundo virtual de avatares.

O futuro prometido pelo Facebook nos “permitirão combinar os mundos real e virtual livremente”. Mundos virtuais que se “tornarão tão universais e essenciais quanto smartphones e computadores pessoais são hoje, mudando a forma como trabalhamos, jogamos, e se conectar”.

Para concluir nossa analise, veja o que diz os idealizadores: “Estamos desenvolvendo todas as tecnologias necessárias para habilitar óculos e fones de ouvido de realidade virtual inovadores, incluindo ótica e monitores, visão computacional, áudio, gráficos, interface cérebro-computador, interação háptica, rastreamento de corpo inteiro, ciência da percepção e telepresença verdadeira”

 

Fonte https://9to5mac.com/2021/10/28/facebook-officially-changes-its-name-to-meta/

https://tech.fb.com/ar-vr/   


Viajando no invisível

 


Viajando no invisível

                                                Joaquim Luiz Nogueira 

Neste livro, o autor Charles Stépanoff , busca a linguagem usada pelos xamãs do norte da Ásia, que preservam costumes e rituais, cuja origem se aproxima do período paleolítico, numa tentativa de nos apresentar como estes indivíduos constroem o diálogo com o invisível. A maneira de como fazer esta comunicação com as entidades invisíveis ou espíritos, que em algumas tribos eram praticadas de forma individual e livre para todos os membros daquela localidade, em outras regiões, eram restritas somente para os profissionais reconhecidos pelo coletivo. 

“Todas as sociedades têm práticas diferentes que permitem aos indivíduos manter relacionamentos com entidades invisíveis, espíritos, ancestrais, deuses. Em algumas práticas, cada indivíduo pode se dirigir a espíritos e deuses diretamente, por exemplo, por meio de orações e ofertas. A relação assim estabelecida nesta prática é didática: visa colocar um humano e um não humano em contato direto. Em outras configurações, as pessoas confiam a um deles a realização de certos atos e palavras” (...) Uma prática religiosa didática se baseia no pressuposto de que certas modalidades de comunicação com o invisível são acessíveis a todos sem um intermediário. (Voyager dans l'invisible)


Não havia somente a polêmica sobre quem deveria se relacionar com o invisível, se era para todos ou apenas para um especialista, também existia uma a polêmica de qual maneira se deveria comunicar com o invisível, para algumas tribos, a porta se abriria pela luz, neste caso, raios de iluminação, lampejos e brilhos seriam usados para este diálogo. De outro lado, também estavam aqueles que praticavam este relacionamento com o invisível usando a escuridão de uma tenda ou da noite como meio facilitador deste encontro.


...traçaremos um retrato desses dois modos de se relacionar com o invisível que, embora se cruzem e às vezes se interpenetram, constituem dois pólos claramente opostos. (...) Começaremos com o xamanismo hierárquico, portador da tenda de luz, que foi o primeiro encontrado e estudado pelos viajantes ocidentais, a seguir abordaremos o xamanismo de tenda escura heterárquica, tão diferente do anterior que alguns observadores até se perguntaram se o termo o xamanismo poderia ser aplicado a ele. (Voyager dans l'invisible)  


No entanto, surge ainda entre estes povos a discussão sobre a maneira mais adequada de como se relacionar com algo não humano: para alguns líderes, todos os indivíduos poderiam fazer este diálogo, mesmo os mais simples, usando ofertas, oferendas entre outras possibilidades. Outra vertente, defendia a importância da representação, ou seja, a criação de imagens materiais, nas quais, o invisível seria contemplado por meio da imaginação. Esta última visão mostra como o xamã, através daquela representação se comunica com o invisível, cujos demais não conseguem interagir. E desse modo, são criadas diversas imagens ou “interfaces de comunicação” onde o invisível e o visível podem encontrar, isto é, espaços sagrados. 


...xamanismo hierárquico estabelece e desenvolve a possibilidade de um modo particular de se relacionar com o mundo por meio de uma dupla representação: representação de pessoas simples por um xamã em negociação com os poderes não humanos do meio ambiente e a representação inversa desses agentes na banalidade. da vida cotidiana através da proliferação de imagens materiais. O regime de delegação hierárquica leva as pessoas simples a um modo de atividade imaginativa cujo giro dominante é contemplativo: elas não interagem com o invisível, mas podem imaginar como o xamã age por elas em mundos distantes. Para que o xamã atue em nome de sua comunidade, para que a delegação seja possível, devem ser criadas interfaces de comunicação onde os espaços visíveis e invisíveis se encontrem e se encontrem, onde o inacessível seja visível, não certamente em si, mas em traços palpáveis ​​para aqueles. que têm apenas os olhos para olhar. (Voyager dans l'invisible) 


A materialização do invisível em objetos, imagens, animais, universos distantes, ancestrais e tambores, criou diversos elementos que se tornaram regenciais, ou seja, apoio no qual, os indivíduos poderiam imaginar e até sentir a complexidade daquilo em que ele não poderia ver ou tocar, porém, por meio de uma linguagem ou imagem metafórica se daria a incorporação destes valores imaginados e reunidos, daquilo que pertenceria ao mundo do mistério profundo, desconhecido em sua vida cotidiana.  


Os pesquisadores frequentemente notaram a diversidade de referências semânticas das quais o tambor é o suporte. Por exemplo, para os xamãs Evenki, o tambor é ao mesmo tempo um barco, uma rena viva e uma imagem do universo, enquanto no Altai é referido também como um camelo, um cavalo, um cervo, um leopardo, um ancestral e um diagrama do cosmos. Seria errado ver nessa riqueza um acúmulo fortuito de metáforas heterogêneas herdadas ao acaso de tradições e influências. O tambor não é múltiplo por acidente, é múltiplo por destino. Ele encarna o que Severi chama de "identidade complexa", ou seja, uma condensação de seres e relações que, na vida cotidiana, permanecem incompatíveis, mas que o ritual reúne. (Voyager dans l'invisible)


Dessa maneira, uma viagem dentro do mundo invisível aos nossos olhares tem início com a criatividade imaginativa do indivíduo, capaz de criar objetos e vestimentas, os quais, propiciam para o xamã a viagem no invisível. Segundo os xamãs “Yakuts” que formam o grupo étnico dominante na República da Yakutia (Sakha), um território da Sibéria Central tão grande quanto a Índia, as performances dão origem na sua imaginação de uma legião de modelos e maneiras de como a pessoa poderá atuar na realidade e na virtualidade 


...o traje pertence às tecnologias imaginativas do xamanismo hierárquico: o essencial não é tanto o que o traje representa, mas o que permite fazer e viver no invisível (...) em suas performances, os xamãs Yakut mobilizaram uma série de cartilhas imaginativas que permitiam aos participantes coordenar o espaço imediato e o espaço virtual. (Voyager dans l'invisible) 


A atuação do indivíduo, tanto na realidade, quanto na virtualidade imaginária pode ocorrer de forma semelhante a uma participação em um jogo de gamer, cuja pessoa assume e incorpora as vontades do personagem que mais representa seus desejos e vontades. Por alguns instantes, o sujeito parece estar viajando no mundo criado e projetado por ele mesmo, passa a vibrar ao ver suas regras e imposições vencendo o jogo. Tem a mesma sensação do herói ao encontrar espaços imaginados e até espíritos, sentimentos que também incorpora ao ver um filme ou ler um romance, isto é, faz gestos ao pronunciar palavras como se realmente estivessem naquele espaço imaginário ou virtual.  


O jogador de videogame e o xamã têm mais em comum do que você pode imaginar. Ao se engajar no jogo, o “gamer” passa a ser protagonista de um mundo que tem sua geografia, história e regras; por sua vez, o xamã, ao realizar um ritual de viagem, torna-se o herói de um épico através das montanhas e nuvens para encontrar os espíritos. Ambos desviam a atenção do ambiente atual para mergulhar em um universo paralelo que, distinto do espaço imediato e, no entanto, presente, pode ser denominado espaço virtual. É certo que uma imersão também é vivenciada pelo leitor de um romance ou pelo espectador de um filme, mas o jogador e o xamã fazem muito mais: entram no espaço virtual, se movem ali, fazem gestos, ali se encontram, amigos e brigam com monstros. (Voyager dans l'invisible) 


Este pequeno lampejo que por alguns instantes parece coordenar os movimentos do indivíduo, também pode, ao mesmo tempo, fazer parte do corpo de outras pessoas, numa espécie de rede virtual, compartilhada em espaços diferentes e distantes, unidos apenas pela emoção contagiante de uma imagem, símbolo ou palavra. 


Eles mobilizam o que chamamos de imaginação agente e não apenas contemplativa. Melhor, em ambos os casos uma atividade imaginativa em rede é implantada: os jogadores de uma sala de videogame se envolvem emocionalmente juntos em uma cena virtual e podem ser milhares para fazê-lo em "jogos online multijogador massivo" (jogos online multijogador massivo). (Voyager dans l'invisible) 


Fonte:

Voyager dans l'invisible /Techniques chamaniques de l'imagination

Par Charles Stépanoff / Année : 2019 Pages : 468

https://www.cairn.info/voyager-dans-l-invisible--9782359251586.htm



Para Entender os Rumos de Cada Ser Humano e Suas Decisões.

 



Para Entender os Rumos de Cada Ser Humano e Suas Decisões.

                                                                                                           Joaquim Luiz Nogueira 

Aqui nos deparamos com a atividade latente em cada ser humano, que logo ao despertar para o início de cada dia de sua vida, diversos problemas, entre eles, a saúde, sonhos, pesadelos, financeiros, trabalho, família, entre outros, se tornam as razões suficiente para que a pessoa se levante em busca de soluções.

Tais obstáculos, na maioria das vezes, fogem de qualquer tentativa de compreensão do indivíduo pela via científica, o que leva para questionamentos diversos, do tipo: Porque eu? O que fiz para merecer isso? Porque tenho de passar por isso? E agora, o que fazer? Não vejo caminhos para seguir adiante?

Diante de contextos incompreensíveis pela racionalidade científica, a teoria de Carl Gustav Jung sobre Arquétipos e como podemos carregar algumas emoções através do sistema nervoso, cuja origem, ultrapassam o nascimento do próprio indivíduo. E que tais sentimentos podem surgir na mente, despertados por contextos extremos, espécie de lampejos ou devaneios, que ativam emoções como medo, pavor, angústia e outros.

Desse modo, se você optar pela opinião oferecida pelo filósofo grego Sócrates e também por Jesus Cristo, que recomendaram “Conheça a ti mesmo” e após saber sobre quais os arquétipos que seu sistema nervoso carrega, talvez, possa convencer seu ego a agir de forma diferente, escolhendo alternativas não ditadas pelas emoções viciadas que comandam o corpo de forma automática.

Se o indivíduo não se despertar para a realidade, ele continua numa forma de programação que torna sua rotina previsível, pois uma espécie de piloto automático, assume todas as decisões e escolhas da pessoa, seguindo as orientações de traumas, preconceitos, prazeres, zona de conforto e outros. 

Neste sentido, assim como uma máquina, temos desgastes físicos e mentais devido o uso constante da mesma região do corpo, gerando dores, traumas, doenças, pânico, estresses, depressão etc. Portanto, para obter melhorias na saúde mental e física do corpo, temos que aprender a fazer novas escolhas, agir de maneira diferente diante dos obstáculos, modificar a forma de reação diante dos problemas.  

Devido às rotinas criadas para as famílias ou pelas profissões, as pessoas agem de maneira muito similar a um programa de computador, isto é, cumpre sua jornada diária e faz o melhor possível para atender a função na qual determinaram para ele naquela empresa ou na carreira profissional. A soma destas ações orientadas em nome de valores monetários, religiosos, éticos, burocráticos, ordinários, lineares, entre outras possibilidades padronizadas, retiram das pessoas a liberdade de escolhas para uma vida inédita. 

Uma decisão ou escolha que seja muito diferente dos padrões ditados pela sociedade em que vive, logo coloca o indivíduo no contexto das pessoas que podem significar uma ameaça para ordem linear e padronizada, pois, satisfazer as necessidades individuais para preservar a saúde do corpo, contrasta com as necessidades estatais, das empresas, dos laboratórios, do lucro rápido e dos interesses tecnológicos de consumo. 

Os meios de produção contemporâneos carregam com eles toda uma gama de transformações, entre elas, novas pragas que surgem a cada ano nas plantações, diferentes alimentos são fabricados, diversas doenças ganham o cenário de maneira surpreendente. Temos os efeitos colaterais produzidos em nome dos grandes avanços da agricultura e das empresas modernas, que para manter o sistema próspero, criam novas rotinas, condutas e formas de nutrição em todo o mundo. 

No entanto, as escolhas ou decisões do indivíduo, quando ele possui a liberdade para poder optar de forma diferente, isto é, construir uma conduta saudável para sua saúde, logo, enfrentará as críticas das pessoas vinculadas ao sistema, cujas condutas são padronizadas e conduzidas de forma automática, obedecendo as normas e regras aprovadas por uma espécie de senso comum. 


http://blog.autoresfree.com.br/2017/04/acoes-humanas-desenvolvidas-com-base.html


Comprendre les orientations de chaque être humain et ses décisions.

 Joaquim Luiz Nogueira 

Nous sommes ici confrontés à l'activité latente de chaque être humain, qui, au réveil pour le début de chaque jour de la vie, plusieurs problèmes, dont la santé, les rêves, les cauchemars, les finances, le travail, la famille, entre autres, deviennent les raisons suffisantes pour la personne à se lever à la recherche de solutions.

De tels obstacles, dans la plupart des cas, échappent à toute tentative de compréhension de l'individu par la voie scientifique, ce qui conduit à diverses questions, telles que : Pourquoi moi ? Qu'ai-je fait pour mériter cela? Pourquoi dois-je passer par là ? Et maintenant, que faire ? Vous ne voyez pas comment aller de l'avant ?

Face à des contextes incompréhensibles par la rationalité scientifique, la théorie de Carl Gustav Jung sur les Archétypes et comment nous pouvons transporter certaines émotions à travers le système nerveux, dont les origines vont au-delà de la naissance de l'individu. Et que de tels sentiments peuvent surgir dans l'esprit, réveillés par des contextes extrêmes, sortes de flashs ou de rêveries, qui activent des émotions telles que la peur, l'effroi, l'angoisse et autres.

Ainsi, si vous choisissez l'opinion proposée par le philosophe grec Socrate et aussi par Jésus-Christ, qui a recommandé « Connais-toi toi-même » et après avoir connu quels archétypes porte votre système nerveux, peut-être pourrez-vous convaincre votre ego d'agir différemment, en choisissant des alternatives non dicté par les émotions dépendantes qui commandent automatiquement le corps.

Si l'individu ne s'éveille pas à la réalité, il continue dans une forme de programmation qui rend sa routine prévisible, comme une sorte de pilote automatique, assume toutes les décisions et choix de la personne, suivant les lignes directrices des traumatismes, des préjugés, des plaisirs, de la zone de confort et autres.

En ce sens, tout comme une machine, nous avons une usure physique et mentale due à l'utilisation constante de la même région du corps, générant douleur, traumatisme, maladie, panique, stress, dépression, etc. Par conséquent, pour améliorer la santé mentale et physique du corps, nous devons apprendre à faire de nouveaux choix, à agir différemment face aux obstacles et à changer notre façon de réagir aux problèmes.

En raison des routines créées pour les familles ou par les professions, les gens agissent de manière très similaire à un programme informatique, c'est-à-dire qu'ils accomplissent leur cheminement quotidien et font de leur mieux pour remplir le rôle qu'ils ont déterminé pour eux dans cette entreprise ou cette carrière professionnelle. La somme de ces actions orientées au nom de valeurs monétaires, religieuses, éthiques, bureaucratiques, ordinaires, linéaires, entre autres possibilités standardisées, prive les gens de la liberté de choix pour une vie sans précédent.

Une décision ou un choix très différent des normes dictées par la société dans laquelle il vit, replace donc l'individu dans le contexte des personnes qui peuvent constituer une menace pour un ordre linéaire et standardisé, car répondre à des besoins individuels pour préserver la santé de le corps, contraste avec les besoins de l'État, des entreprises, des laboratoires, des profits rapides et des intérêts technologiques des consommateurs.

Les moyens de production contemporains entraînent avec eux toute une série de transformations, dont de nouveaux ravageurs qui apparaissent chaque année dans les plantations, différents aliments sont fabriqués, diverses maladies prennent le devant de la scène de manière surprenante. Nous avons les effets secondaires produits au nom des grandes avancées de l'agriculture et des entreprises modernes, qui, pour maintenir le système prospère, créent de nouvelles routines, comportements et formes de nutrition dans le monde entier.

Cependant, les choix ou décisions de l'individu, lorsqu'il a la liberté de choisir différemment, c'est-à-dire de construire un comportement sain pour sa santé, seront donc confrontés aux critiques de personnes liées au système, dont les comportements sont standardisés et conduits automatiquement, obéissant aux normes et des règles approuvées par une sorte de bon sens.


http://blog.autoresfree.com.br/2017/04/acoes-humanas-development-com-base.html

To Understand the Directions of Each Human Being and Their Decisions.

 Joaquim Luiz Nogueira 

Here we are faced with the latent activity in every human being, which, upon awakening for the beginning of each day of life, several problems, including health, dreams, nightmares, financial, work, family, among others, become the reasons enough for the person to get up in search of solutions.

Such obstacles, in most cases, escape any attempt to understand the individual through the scientific route, which leads to various questions, such as: Why me? What have I done to deserve this? Why do I have to go through this? And now, what to do? Don't see ways to go forward?

Faced with contexts incomprehensible by scientific rationality, Carl Gustav Jung's theory on Archetypes and how we can carry some emotions through the nervous system, whose origins go beyond the birth of the individual. And that such feelings can arise in the mind, awakened by extreme contexts, sort of flashes or daydreams, which activate emotions such as fear, dread, anguish and others.

Thus, if you choose the opinion offered by the Greek philosopher Socrates and also by Jesus Christ, who recommended “Know thyself” and after knowing what archetypes your nervous system carries, perhaps you can convince your ego to act accordingly. different, choosing alternatives not dictated by the addicted emotions that command the body automatically.

If the individual does not wake up to reality, he continues in a form of programming that makes his routine predictable, as a kind of autopilot, assumes all the decisions and choices of the person, following the guidelines of traumas, prejudices, pleasures, zone of comfort and others.

In this sense, just like a machine, we have physical and mental wear and tear due to the constant use of the same region of the body, generating pain, trauma, illness, panic, stress, depression, etc. Therefore, to achieve improvements in the body's mental and physical health, we have to learn to make new choices, act differently when faced with obstacles, and change the way we react to problems.

Due to the routines created for families or by professions, people act very similarly to a computer program, that is, they fulfill their daily journey and do their best to fulfill the role they have determined for them in that company or career. professional. The sum of these actions oriented in the name of monetary, religious, ethical, bureaucratic, ordinary, linear values, among other standardized possibilities, deprive people of the freedom of choice for an unprecedented life.

A decision or choice that is very different from the standards dictated by the society in which they live, therefore places the individual in the context of people who can pose a threat to a linear and standardized order, as meeting individual needs to preserve the health of the body, contrasts with the needs of the state, companies, laboratories, quick profits and technological consumer interests.

Contemporary means of production carry with them a whole range of transformations, including new pests that appear every year on the plantations, different foods are manufactured, various diseases take the stage in a surprising way. We have the side effects produced in the name of the great advances of agriculture and modern companies, which, in order to keep the system prosperous, create new routines, behaviors and forms of nutrition around the world.

However, the individual's choices or decisions, when he has the freedom to choose differently, that is, build a healthy behavior for his health, will therefore face criticism from people linked to the system, whose behaviors are standardized and conducted automatically, obeying the norms and rules approved by a kind of common sense.


http://blog.autoresfree.com.br/2017/04/acoes-humanas-developed-com-base.html

SEJA O EMPREENDEDOR DE SUA VIDA

 SEJA O EMPREENDEDOR DE SUA VIDA




Seja o empreendedor de sua vida

Joaquim Luiz Nogueira  

Seja o empreendedor de sua vida conhecendo novas possibilidades para manter em equilíbrio aquilo que você significa diante deste universo complexo que compõe a sua existência enquanto corpo, movimento, ações e projeções nas quais se denomina como jornada entre nascimento e morte. 

Talvez, o primeiro passo seria a descoberta de como você poderia atuar caso seu nome, isto é, o símbolo pelo qual se identifica diante da sociedade, fosse mencionado via quarenta imagens que representam o panteão da imaginação mitológica da Antiga Grécia. Dessa maneira, as dez primeiras que surgirem, identificam sua personalidade de forma a contemplar desde seu potencial elevado até as suas tendências mais profundas para atração de forças vingativas ou justiceiras. 

Uma vez tendo levantado seus pontos fortes e suas fraquezas por este método, podemos definir como imagens de fundo psicológico ou arquétipos, segundo Jung, em suas pesquisas sobre aquilo que moldam nossas personalidades, medos e pânicos. Verifique aquilo que está mais latente nos últimos meses e neste conjunto, reconheça seu perfil de comportamento, ou seja, até que ponto seus arquétipos estão atuando em suas decisões cotidianas. 

A segunda opção, ainda dialogando com o invisível, faça outra consulta com 40 elementos da natureza, desta vez, use os florais, que no caso, indicamos aqui os de BACH. Faça o manuseio das imagens ou nome das plantas destes elementos florais e escolha pelas costas das imagens, sete delas, pois estas, sendo escolhida mentalmente com o seu nome completo, destinará as propriedades destas plantas segundo sua prioridade latente do momento.


Agora que você já possui os diagnósticos de seu corpo oferecidos pelos arquétipos míticos e pelos florais, agora pode iniciar seu tratamento seguindo dois caminhos: Se quiser optar por algo mais simples, pode mandar manipular os sete florais apontados nas imagens que te representam neste momento, pois uma segunda saída seria conhecer as propriedades dos cristais e os principais pontos de energia em seu corpo, segundo o manual chamado de BARRA de ACCS. 

De posse do conhecimento dos principais pontos de energia em seu corpo e da propriedade dos cristais, escolha uns 20 cristais ou rochas de leitos de rios não poluídos, que tenham em seu interior metais como ferro, manganês, bauxita, selecione aquelas com tamanhos adequados para movimento junto ao corpo. Após a seleção dos cristais ou pedras, lave em água corrente e depois, deixe em um recipiente neutro de molho em sal grosso e água por algum tempo, após esta etapa, passe em água corrente novamente e deixe secar na luz do sol.

 Uma vez terminado esta etapa, coloque sua mão acima destes elementos e mentalize a função dos mesmos para cura de seu corpo. Após mentalizar sobre o uso dos mesmos, pode começar distribuindo sobre os pontos energéticos de seu corpo de dois de cada vez, ou diretamente sobre os pontos mais críticos de dor. Assim que posicionados sobre os pontos críticos de seu corpo, irá senti-los como uma pedra de gelo, portanto, deixe sobre o local até que eles possam igualar a temperatura de seu corpo, então prossiga substituindo com outro cristal ou pedra até que sinta o alívio da dor. 

Estas terapias individuais devem ser acompanhadas por um conjunto de mantras ou frases, nas quais possam ser criadas pelo indivíduo e que correspondam às suas necessidades de curto, médio e longo prazo. Tais mantras ou frases devem ser lidas em todo início de dia, assim que começa a jornada. Trata-se de uma espécie de reprogramação de sua mente no sentido de evoluir para outras dimensões de valores, já que, a maioria dos problemas que causam doenças no corpo, estão vinculados ao modo de agir diante dos obstáculos. 

Conseguir ver o mundo de outros ângulos é o início das mudanças em sua jornada para a saúde da mente e do corpo. 

Livro: Diálogos com o Invisível  - Joaquim Luiz Nogueira 


Be the entrepreneur of your life


Joaquim Luiz Nogueira


Be the entrepreneur of your life knowing new possibilities to keep in balance what you mean in this complex universe that makes up your existence as a body, movement, actions and projections in what is called the journey between birth and death.

Perhaps the first step would be to discover how you could act if your name, that is, the symbol by which you identify yourself in society, were mentioned via forty images representing the pantheon of ancient Greek mythological imagination. In this way, the first ten that emerge, identify their personality in order to contemplate from their high potential to their deepest tendencies to attract vengeful or righteous forces.

Once you have raised your strengths and weaknesses by this method, we can define them as psychological background images or archetypes, according to Jung, in his research on what shapes our personalities, fears and panics. Check what is most latent in recent months and in this set, recognize your behavior profile, that is, to what extent your archetypes are acting in your daily decisions.

The second option, still dialoguing with the invisible, make another query with 40 elements of nature, this time, use the floral ones, in this case, we indicate here those by BACH. Handle the images or names of the plants of these floral elements and choose seven of them on the back of the images, as these, being mentally chosen with their full name, will allocate the properties of these plants according to their latent priority at the time.

Now that you already have the diagnoses of your body offered by the mythical archetypes and flower essences, you can now start your treatment following two paths: If you want to opt for something simpler, you can have the seven flower essences indicated in the images that represent you at this moment manipulated, because a second way out would be to know the properties of the crystals and the main energy points in your body, according to the manual called ACCS BAR.

With the knowledge of the main energy points in your body and the properties of the crystals, choose some 20 crystals or rocks from unpolluted river beds, which have metals such as iron, manganese, bauxite in them, select those with suitable sizes for movement along the body. After selecting the crystals or stones, wash them under running water and then leave them in a neutral container to soak in coarse salt and water for some time, after this step, rinse them under running water again and let them dry in the sunlight.

 Once you have completed this step, place your hand above these elements and envision their function for healing your body. After thinking about using them, you can start distributing them on the energy points of your body two at a time, or directly on the most critical pain points. Once positioned over the critical points on your body, they will feel like an ice cube, so leave them there until they can equal the temperature of your body, then continue replacing with another crystal or stone until you feel the pain relief.

These individual therapies must be accompanied by a set of mantras or phrases, which can be created by the individual and that correspond to their needs in the short, medium and long term. Such mantras or phrases should be read at the beginning of the day, as soon as the journey begins. It is a kind of reprogramming your mind in order to evolve to other dimensions of values, since most of the problems that cause illnesses in the body are linked to the way of acting in the face of obstacles.


Being able to see the world from other angles is the beginning of changes in your journey to health of mind and body.


Book: Dialogues with the Invisible - Joaquim Luiz Nogueira


Soyez l'entrepreneur de votre vie


Joaquim Luiz Nogueira

Soyez l'entrepreneur de votre vie en connaissant de nouvelles possibilités pour garder en équilibre ce que vous entendez dans cet univers complexe qui compose votre existence en tant que corps, mouvement, actions et projections dans ce qu'on appelle le voyage entre la naissance et la mort.

Peut-être que la première étape serait de découvrir comment vous pourriez agir si votre nom, c'est-à-dire le symbole par lequel vous vous identifiez dans la société, était mentionné à travers une quarantaine d'images représentant le panthéon de l'imagination mythologique grecque antique. De cette façon, les dix premiers qui émergent, identifient leur personnalité afin de contempler de leur haut potentiel à leurs plus profondes tendances à attirer des forces vengeresses ou vertueuses.

Une fois que vous avez élevé vos forces et vos faiblesses par cette méthode, nous pouvons les définir comme des images de fond psychologiques ou des archétypes, selon Jung, dans ses recherches sur ce qui façonne nos personnalités, nos peurs et nos paniques. Vérifiez ce qui est le plus latent ces derniers mois et dans cet ensemble, reconnaissez votre profil de comportement, c'est-à-dire dans quelle mesure vos archétypes agissent dans vos décisions quotidiennes.

La deuxième option, dialoguant toujours avec l'invisible, fait une autre requête avec 40 éléments de la nature, cette fois, utilise les floraux, que dans ce cas, nous indiquons ici ceux de BACH. Manipulez les images ou les noms des plantes de ces éléments floraux et choisissez-en sept au dos des images, car celles-ci, étant mentalement choisies avec leur nom complet, attribueront les propriétés de ces plantes en fonction de leur priorité latente à l'époque .

Maintenant que vous avez déjà les diagnostics de votre corps offerts par les archétypes mythiques et les élixirs floraux, vous pouvez maintenant commencer votre traitement en suivant deux voies : Si vous voulez opter pour quelque chose de plus simple, vous pouvez avoir les sept élixirs floraux indiqués dans les images qui vous représenter en ce moment manipulé, car une seconde issue serait de connaître les propriétés des cristaux et les principaux points énergétiques de votre corps, selon le manuel appelé ACCS BAR.

En connaissant les principaux points d'énergie de votre corps et les propriétés des cristaux, choisissez une vingtaine de cristaux ou de roches provenant de lits de rivière non pollués, contenant des métaux tels que le fer, le manganèse, la bauxite, sélectionnez ceux dont la taille est appropriée pour se déplacer. le corps. Après avoir sélectionné les cristaux ou les pierres, lavez-les à l'eau courante puis laissez-les tremper dans un récipient neutre dans du gros sel et de l'eau pendant un certain temps, après cette étape, rincez-les à nouveau sous l'eau courante et laissez-les sécher au soleil.

 Une fois cette étape terminée, placez votre main au-dessus de ces éléments et imaginez leur fonction pour guérir votre corps. Après avoir pensé à les utiliser, vous pouvez commencer à les répartir sur les points énergétiques de votre corps deux à la fois, ou directement sur les points douloureux les plus critiques. Une fois positionnés sur les points critiques de votre corps, ils ressembleront à un rocher, alors laissez-les là jusqu'à ce qu'ils puissent égaler la température de votre corps, puis continuez à les remplacer par un autre cristal ou pierre jusqu'à ce que vous ressentiez le soulagement de la douleur.

Ces thérapies individuelles doivent être accompagnées d'un ensemble de mantras ou de phrases, qui peuvent être créés par l'individu et qui correspondent à ses besoins à court, moyen et long terme. De tels mantras ou phrases doivent être lus au début de la journée, dès que le voyage commence. C'est une sorte de reprogrammation de votre esprit afin d'évoluer vers d'autres dimensions de valeurs, car la plupart des problèmes qui provoquent des maladies dans le corps sont liés à la façon d'agir face aux obstacles.

Être capable de voir le monde sous d'autres angles est le début de changements dans votre cheminement vers la santé de l'esprit et du corps.


Livre : Dialogues avec l'invisible - Joaquim Luiz Nogueira

Visões liberais, agônicas e de catástrofe sobre o mundo atual

 

                                                                                                      

                                                                                                    Joaquim Luiz Nogueira


Visão Liberal Ocidental 

Esta visão defende as formas pacificadoras, neutralizantes e normalizadoras, espécie de noção positivista, cujo conhecimento se apresenta como abordagem objetiva (não parcial) da realidade. Nesta visão, não se inclui nenhuma espécie de risco de vida. Qualquer sinal deste aspecto, logo é visto como suspeito e irracional, portanto, descartado. 

“Foucault caracterizou como “as formas pacificadoras, neutralizantes e normalizadoras do poder ocidental moderno” – é ideologia no seu estado mais puro: a ideologia do “fim da ideologia”. Por um lado, temos o conhecimento-especialista não ideológico “objetivo”, por outro, temos indivíduos dispersos, cada um dos quais está focado em seu “cuidado de si” idiossincrático (termo que Foucault usou quando abandonou sua experiência iraniana), pequenas coisas que dão prazer à sua vida. Desse ponto de vista do compromisso universal, o individualismo liberal, especialmente quando inclui risco de vida, é visto como profundamente suspeito e “irracional”. (Slavoj Zizek) 


Visão Agônica 

Trata-se de uma visão movida a partir da ansiedade, isto é, da perspectiva de uma dada recompensa advinda de uma crença. Portanto, uma posição subjetiva, porém, engajada, por exemplo, em ganhos prometidos pelo martírio do indivíduo, que são impregnados na vida dele. A verdade a partir da ansiedade, que se transforma por meio da luta e da provação. É um discurso da perspectiva, cuja totalidade desta visão ocorre quando se atravessa seu ponto de vista próprio. 

A manifestação da verdade ocorre só a partir de sua posição de combate, ou seja, do ideal de vitória buscada, mesmo que esteja no limite da sobrevivência. A verdade é acessível a partir da posição subjetiva e particular do indivíduo. O conhecimento ocorre mesmo que o sujeito esteja engajado na luta pela sua visão agônica. Neste caso, o foco surge a partir do cuidado de si, isto é, de pequenas coisas que dão prazer a sua vida. 


“Ela deixa de captar a diferença chave entre a crença no sentido de insight intelectual (“Eu sei que irei para o céu, é um fato”) e a crença como uma posição subjetiva engajada. Em outras palavras, é incapaz de levar em conta o poder material de uma ideologia – neste caso, o poder da fé – que não se baseia apenas na força de nossa convicção, mas em como estamos diretamente comprometidos existencialmente com nossa crença. Não somos sujeitos escolhendo esta ou aquela crença, nós somos a nossa crença no sentido em que essa crença impregna nossa vida”. Slavoj Zizek 


Visão da catástrofe 

Nesta visão, o engajamento das pessoas assume um compromisso coletivo por uma vida melhor. Trata-se de um espírito coletivo, onde todos estão engajados, ou seja, comportamento semelhante ao que ocorre diante de uma catástrofe, tais como: furacão, tsunami, aquecimento global, pandemia, etc.  Nestas ações coletivas cobram dos indivíduos várias formas de martírios, entre eles, o sacrifício, isto é, tem que superar a vida de prazeres de si e aderir ao profundo engajamento coletivo.


“um compromisso coletivo por uma vida melhor. Após o triunfo do capitalismo global, esse espírito de engajamento coletivo foi reprimido, e agora essa postura reprimida parece retornar sob a forma de fundamentalismo religioso”.” É possível imaginarmos um retorno do reprimido em sua forma adequada de engajamento emancipatório coletivo? Não só é possível, como ele já está batendo à nossa porta – e com força. Mencionemos apenas a catástrofe do aquecimento global – ela exige uma ação coletiva em grande escala que demandará suas próprias formas de martírio, o sacrifício de muitos prazeres aos quais nos acostumamos. Se realmente quisermos mudar todo o nosso modo de vida, o “cuidado de si” individualista que gira em torno do uso dos nossos prazeres terá que ser superado. Por outro lado, a tecnocracia da ciência especializada por si só não resolverá o impasse – terá de ser uma ciência enraizada no mais profundo engajamento coletivo” (Slavoj Zizek)


Conclusão 

 

Estamos vivendo numa visão de catástrofe (pandemia) com as pessoas sendo engajadas em comportamentos coletivos com sacrifícios e martírios para os indivíduos em nome do novo espírito coletivo, chamado de “novo normal”.  A situação de catástrofe está sendo direcionada pela visão agônica de lideranças mundiais e nacionais, que aproveitam este momento de pânico gerado pela catástrofe da pandemia, no qual, aproveitam para moldar comportamentos e para criar e distribuir novas tecnologias, tudo isso, a partir de suas visões agônicas do mundo. Tais mudanças são colocadas em prática dentro de uma visão liberal, cujas autoridades e profissionais liberais, defendem essas novas medidas como formas normalizadoras, cujo conhecimento se apresenta como abordagem objetiva da realidade. 



Referências bibliográficas
FOUCAULT, Michel. 
Em defesa da sociedade: Curso no Collège de France (1975-1976). Tradução de Maria Ermantina Galvão. São Paulo: Martins Fontes, 2005, p. 61.
GAMEZ, Patrick. The place of the Iranian Revolution in the history of truth: Foucault on neoliberalism, spirituality and enlightenment. 
Philosophy and Social Criticism, v. 45, n.1, p. 96-124, set. 2018.

Fonte:

https://blogdaboitempo.com.br/2021/08/16/zizek-nossa-resposta-aotaliba/?fbclid=IwAR0Eu7tVfAdARLnMxsDXsbKSbV6R1EWzk3ULifsijuxy6Y9PTWiBPg6xgk

 

A Sétima Maneira de Viver a Vida



                                                                                                                         Joaquim Luiz Nogueira


Entre as muitas maneiras de viver a vida, temos as mais comuns, isto é: viver com fundamentação no amor, com prioridade nas escolhas, uso do perdão para se renovar, prática do altruísmo para dar sentido à vida, acreditar no destino como missão e a incorporação de verdades absolutas para cumprir objetivos.

No entanto, a sétima forma de viver se trata do “Sentir-se como um nada”, ou seja, anulação do ego individual. Quando admitimos que não existimos de maneira definitiva dentro de um corpo e que ali, atuam apenas como um avatar, cuja fonte de origem desta centelha psíquica que habita tal matéria situa-se em sua totalidade em um plano invisível, fora do alcance e da compreensão do indivíduo.


Neste sentido, ao refletirmos sobre as qualidades daquilo que alimenta a mente humana, logo, não temos como compreender o fato de caminharmos rumo a certeza da morte e mesmo assim, trabalhamos pacificamente de 8h a 12h diárias, tendo consciência de uma existência curta, cujo fim seja que, essa matéria (corpo) deve tornar-se pó novamente, 


Durante milhares de anos, muitos povos primitivos desenvolveram diversos rituais para oferecer aos animais nos quais caçavam, uma espécie de agradecimento ao fato deles pagarem com a vida e assim, permitirem que as tribos humanas pudessem se alimentar e prosseguir adiante. Joseph Campbell, professor de mitologia norte americano, disse em um de seus diversos livros sobre o tema que: “a vida se alimenta de vida”. 


A vida enquanto forma de existência e que só poderia existir ocupando um corpo, parece não ter mais sustentação, já que a própria física quântica já fala sobre esta ponte entre a ciência e o invisível: 

A física quântica pode constituir uma ponte entre a ciência e o mundo espiritual, pois, segundo ela, pode-se “reduzir” a matéria, de forma subjetiva e no domínio do abstrato, até à consciência – causa da “intelectualidade” da matéria. A consciência transforma as possibilidades da matéria em realidade, transformando as possibilidades quânticas em fatos reais. Essa consciência deve apresentar uma unidade e transcender o tempo, espaço e matéria. Não é algo material; na realidade, é a base de todos os seres.[1]

Uma vez no campo da não matéria, temos horizontes de nulidade daquilo que denominamos como algo visível e concreto, sendo assim, o espaço do vazio ou o desconhecido, torna-se a nova fronteira para a investigação da consciência humana aprisionada em um corpo com a estrutura limitada para a leitura e a compreensão do universo invisível. 


Ao supormos que a grandiosidade daquilo que chamamos centelha ou sopro de vida, presente na matéria do corpo, tem como centro mediador, algo cuja a origem se encontra no universo invisível, logo, tal fonte passa a significar o lugar onde se esculpem todas as ações no campo da matéria, até aquelas que julgamos impossíveis

Se admitirmos que somos avatares neste corpo e que a decisão sobre a forma como agimos, aquilo que pronunciamos e até o momento em que faleceram, todos estes comandos, são controlados pelas condições e necessidades do universo invisível, espaço incompreensível pela mente humana, sendo por ela, apenas denominado como eterno ou infinito


O rastreamento de certos tipos de sentimentos, entre eles, as emoções ou a depressão, ambas podem contribuir para saúde e até a doença dos órgãos do corpo. O fato de o indivíduo possuir meta elevada pode lhe favorecer a vencer obstáculos e o contrário disso, não ter motivação ou estar paralisado, facilita o avanço drástico das doenças. 


Quando se vive com a nulidade do ego, logo, favorecemos na mente a incorporação de elementos do campo “simbólico”. Estes elementos pertencem ao universo das possibilidades infinitas, espécie de totalidade responsável pela existência de tudo aquilo que pertencemos, juntamente com o universo. 


Ao defrontar se com a grandeza deste infinito de possibilidades, cujo limite da estrutura física do corpo e da mente humana, não consegue visualizar ou compreender, então, ignoramos e vetamos qualquer tentativa de navegar neste campo desconhecido das forças potencializadoras do chamado simbólico. No entanto, se insistirmos na construção de uma espécie de mapa mental simbólico, navegando por forte emoções geradas por frases, nomes, palavras, imagens, sons, entre outras grandezas, podemos sentir fragmentos advindos das forças que compõem e alimentam aquilo que conhecemos como vida. 


Se conseguirmos anular o ego, podemos escolher no cenário das infinitas possibilidades um contexto ideal para fazer o mergulho e degustar aquilo que selecionamos como o elixir máximo naquele momento. Alguns denominam esta viagem como fé, outros alegam poder de imaginação e concentração naquilo que realmente importam. 


Porém, se supormos que o fluxo de energia que anima a matéria (corpo) pertence ao campo do eterno, logo, podemos nos conotarmos como a ponta de um grande Iceberg, então, basta nos transportarmos em direção oposta para sentirmos que do outro lado, também depende do que acontece nesta pequena superfície visível, caso contrário, não estaríamos aqui. 


Estamos neste corpo (matéria) enquanto temos a possibilidade de realizarmos o projeto idealizador pelo qual nos permitiu chegar até este momento. Que missão é esta? Isto depende da infinitude de planos que existem do outro lado, pois, observando o mundo visível e suas contradições, conflitos e superações, logo, podemos supor que pertencemos a uma espécie de laboratório da evolução experimental do universo. 


Cada ação que praticamos nos coloca mais próximo daquela intenção motivadora que nos deu vida. Seria algo semelhante ao motivo que leva o fotografo ao clicar sua máquina fotográfica naquele momento que deseja capturar algo e torná-lo eterno. Esta ação de recortar o tempo para apresentar a outros indivíduos como sua maneira de ver o mundo, também se assemelha ao modo como vivemos. 


É esta maneira de viver, isto é, como alguém que seleciona tudo a todo instante, que denominamos como “a sétima maneira de viver”. Escolha somente coisas maravilhosas por onde caminhar, ignore tudo que não seja construtivo para sua plenitude, assim, poderá sentir como parte daquilo que pratica e se acreditar, após visitar muitos lugares durante sua jornada de selecionador, após se libertar deste corpo (matéria), poderá viver em seu pequeno museu ou retornar para ampliá-lo cada vez mais seu empreendimento.  


O Encontro Com o Grande Vazio

                                                                                                                  Joaquim Luiz Nogueira É al...