O FUTURO DO MUNDO “METAVERSO”: AVATARES E HUMANOS.

 

Fonte imagem: https://9to5mac.com/2021/10/28/facebook-officially-changes-its-name-to-meta/https://tech.fb.com/ar-vr/ 

                                                           Joaquim Luiz Nogueira 


“metaverso” - sua plataforma de realidade mista em funcionamento.

No logotipo de lançamento desta plataforma surreal, temos uma denominação  representada pelo  símbolo do infinito e logo a sua frente a palavra meta e se partirmos deste ponto para  nossa  tentativa de jogar com a multiplicidade de possibilidades que podem ser criadas ou construídas para ampliarmos coisas como realidade material,  imaginação humana e por último refletirmos sobre: as mentes livres que desenvolvem tais metas, nas quais, possuem potenciais de abrangências para navegações numa infinitude de mundos reais.

Este universo de realidade material e humana carrega toda uma gama de problemas, cuja solução, envolve também uma complexa e delicada rede de poder econômico que se apresenta de forma entrelaçada em todos os ramos da atividade humana no planeta, cujo lançamento de qualquer novidade tecnológica, não avança sem uma variedade de filtros impostas por grandes corporações do mundo conectado por interesses econômicos.  

Neste sentido, a plataforma promete oferecer “novas maneiras de experimentar trabalho, diversão, exercícios, entretenimento e muito mais” Portanto, o leque de possibilidades para o desenvolvimento de como aproximar produtos e espaços de pessoas, numa velocidade quase que instantânea, promete uma revolução no campo da comunicação entre produtores e consumidores.

Veja esta frase de lançamento da plataforma “Para refletir quem somos e o que esperamos construir. Tenho o orgulho de anunciar que nossa empresa agora se chama Meta” É na reflexão de quem somos no mundo real e na maneira de como agimos ao longo dos últimos séculos, em relação aos últimos avanços tecnológicos, no sentido de pensarmos sobre: quem foi beneficiado pelas grandes invenções da humanidade?  

No universo desta inovadora plataforma, segundo seus idealizadores, será “um lugar onde jogaremos e nos conectaremos em 3D. Bem-vindo ao próximo capítulo da conexão social” Este espaço de realidade prometida, só como um exemplo muito significativo para introdução do assunto, podemos recordar o primeiro Filme de MATRIX, quando Morpheus leva o personagem protagonista para a realidade virtual e lhe mostra a realidade com a frase: “Bem Vindo ao Deserto do Real”.

No entanto, a realidade aumentada a partir dos olhos humanos conectados ao equipamento de 3D, desenvolvido e projetado para fazer o encontro entre materialidade e virtualidade, isto é, mostrar ao usuário, um universo em que ele pode interagir com espaços e mundos virtuais, porém, com a possibilidade de tocar com as mãos os objetos e cujo cérebro do indivíduo, por não saber controlar o efeito placebo do gesto, passa a liberar emoções relacionadas ao produto ou ao universo visualizado.

Atualmente, os aparelhos tecnológicos “mergulham as pessoas em ambientes virtuais 3D”, porém, com os novos óculos 3D de realidade aumentada “as imagens são geradas por computador e as sobrepõe em sua visão do mundo”. Trata-se do encontro entre aquilo que observamos com nossos olhos e a realidade construída no computador.

A nova tecnologia de realidade virtual “nos permite explorar novos mundos, desafiar obstáculos e tentar o impossível. E graças à magia da presença - a sensação de que você está compartilhando o mesmo espaço com outras pessoas”

Para os idealizadores da nova plataforma de interação entre pessoas, agora “Ao incorporar interatividade e o ponto de vista literal do espectador, as experiências de RV reimaginam o papel do público como co-conspirador e agente ativo, em vez de simplesmente um participante passivo”.

Nesta nova forma de ver o mundo, “Você pode explorar o espaço sideral, entrar na história e se conectar com amigos”. Portanto, além do indivíduo poder caminhar por mundo imaginários (desde que projetado na memória do aparelho), também, poderá convidar os colegas para caminhar juntos em cenários virtuais.  

Neste contexto virtual no qual pode servir para encontros de pessoas reais, porém, como avatares perfeitos, sem doenças, livre de dores. Localidades que juntos com outras pessoas poderão praticar toda espécie de aventura neste mundo novo, já que não há perigo para o corpo físico. No entanto, para a saúde mental de adolescentes, jovens e até adultos, a rotina dos supostos avatares podem tornar-se muito mais interessantes do que a realidade.

Quando os idealizadores desta plataforma nos dizem que “podemos aproveitar essa tecnologia para gerar mudanças sociais significativas”. Não há dúvidas sobre as transformações que serão visualizadas e até sentidas pelas pessoas, que passarão a dividir suas 24 horas diárias em três etapas: sono, vida avatar e vida real. A forte tendência para que a vida virtual se torne muito mais atrativa para os indivíduos do que a vida real, que exige dele esforço, sacrifício, sofrimento, problemas financeiros, entre outros obstáculos que acompanha o corpo físico.

Nos novos aparelhos de realidade virtual, afirma os idealizadores que eles oferecem “a experiência mais envolvente possível. Controladores de toque totalmente monitorados com seis graus de liberdade trazem suas próprias mãos para o espaço virtual para uma sensação de presença ainda maior”.

São as novas sensações trazidas pelas próprias mãos mergulhadas na realidade virtual, que conecta o cérebro humano pelo efeito placebo e estimula a produção de proteínas ou substâncias por meio de células, aprovando a continuidade, a repetição e até uma possível permanência neste mundo virtual de avatares.

O futuro prometido pelo Facebook nos “permitirão combinar os mundos real e virtual livremente”. Mundos virtuais que se “tornarão tão universais e essenciais quanto smartphones e computadores pessoais são hoje, mudando a forma como trabalhamos, jogamos, e se conectar”.

Para concluir nossa analise, veja o que diz os idealizadores: “Estamos desenvolvendo todas as tecnologias necessárias para habilitar óculos e fones de ouvido de realidade virtual inovadores, incluindo ótica e monitores, visão computacional, áudio, gráficos, interface cérebro-computador, interação háptica, rastreamento de corpo inteiro, ciência da percepção e telepresença verdadeira”

 

Fonte https://9to5mac.com/2021/10/28/facebook-officially-changes-its-name-to-meta/

https://tech.fb.com/ar-vr/   


Viajando no invisível

 


Viajando no invisível

                                                Joaquim Luiz Nogueira 

Neste livro, o autor Charles Stépanoff , busca a linguagem usada pelos xamãs do norte da Ásia, que preservam costumes e rituais, cuja origem se aproxima do período paleolítico, numa tentativa de nos apresentar como estes indivíduos constroem o diálogo com o invisível. A maneira de como fazer esta comunicação com as entidades invisíveis ou espíritos, que em algumas tribos eram praticadas de forma individual e livre para todos os membros daquela localidade, em outras regiões, eram restritas somente para os profissionais reconhecidos pelo coletivo. 

“Todas as sociedades têm práticas diferentes que permitem aos indivíduos manter relacionamentos com entidades invisíveis, espíritos, ancestrais, deuses. Em algumas práticas, cada indivíduo pode se dirigir a espíritos e deuses diretamente, por exemplo, por meio de orações e ofertas. A relação assim estabelecida nesta prática é didática: visa colocar um humano e um não humano em contato direto. Em outras configurações, as pessoas confiam a um deles a realização de certos atos e palavras” (...) Uma prática religiosa didática se baseia no pressuposto de que certas modalidades de comunicação com o invisível são acessíveis a todos sem um intermediário. (Voyager dans l'invisible)


Não havia somente a polêmica sobre quem deveria se relacionar com o invisível, se era para todos ou apenas para um especialista, também existia uma a polêmica de qual maneira se deveria comunicar com o invisível, para algumas tribos, a porta se abriria pela luz, neste caso, raios de iluminação, lampejos e brilhos seriam usados para este diálogo. De outro lado, também estavam aqueles que praticavam este relacionamento com o invisível usando a escuridão de uma tenda ou da noite como meio facilitador deste encontro.


...traçaremos um retrato desses dois modos de se relacionar com o invisível que, embora se cruzem e às vezes se interpenetram, constituem dois pólos claramente opostos. (...) Começaremos com o xamanismo hierárquico, portador da tenda de luz, que foi o primeiro encontrado e estudado pelos viajantes ocidentais, a seguir abordaremos o xamanismo de tenda escura heterárquica, tão diferente do anterior que alguns observadores até se perguntaram se o termo o xamanismo poderia ser aplicado a ele. (Voyager dans l'invisible)  


No entanto, surge ainda entre estes povos a discussão sobre a maneira mais adequada de como se relacionar com algo não humano: para alguns líderes, todos os indivíduos poderiam fazer este diálogo, mesmo os mais simples, usando ofertas, oferendas entre outras possibilidades. Outra vertente, defendia a importância da representação, ou seja, a criação de imagens materiais, nas quais, o invisível seria contemplado por meio da imaginação. Esta última visão mostra como o xamã, através daquela representação se comunica com o invisível, cujos demais não conseguem interagir. E desse modo, são criadas diversas imagens ou “interfaces de comunicação” onde o invisível e o visível podem encontrar, isto é, espaços sagrados. 


...xamanismo hierárquico estabelece e desenvolve a possibilidade de um modo particular de se relacionar com o mundo por meio de uma dupla representação: representação de pessoas simples por um xamã em negociação com os poderes não humanos do meio ambiente e a representação inversa desses agentes na banalidade. da vida cotidiana através da proliferação de imagens materiais. O regime de delegação hierárquica leva as pessoas simples a um modo de atividade imaginativa cujo giro dominante é contemplativo: elas não interagem com o invisível, mas podem imaginar como o xamã age por elas em mundos distantes. Para que o xamã atue em nome de sua comunidade, para que a delegação seja possível, devem ser criadas interfaces de comunicação onde os espaços visíveis e invisíveis se encontrem e se encontrem, onde o inacessível seja visível, não certamente em si, mas em traços palpáveis ​​para aqueles. que têm apenas os olhos para olhar. (Voyager dans l'invisible) 


A materialização do invisível em objetos, imagens, animais, universos distantes, ancestrais e tambores, criou diversos elementos que se tornaram regenciais, ou seja, apoio no qual, os indivíduos poderiam imaginar e até sentir a complexidade daquilo em que ele não poderia ver ou tocar, porém, por meio de uma linguagem ou imagem metafórica se daria a incorporação destes valores imaginados e reunidos, daquilo que pertenceria ao mundo do mistério profundo, desconhecido em sua vida cotidiana.  


Os pesquisadores frequentemente notaram a diversidade de referências semânticas das quais o tambor é o suporte. Por exemplo, para os xamãs Evenki, o tambor é ao mesmo tempo um barco, uma rena viva e uma imagem do universo, enquanto no Altai é referido também como um camelo, um cavalo, um cervo, um leopardo, um ancestral e um diagrama do cosmos. Seria errado ver nessa riqueza um acúmulo fortuito de metáforas heterogêneas herdadas ao acaso de tradições e influências. O tambor não é múltiplo por acidente, é múltiplo por destino. Ele encarna o que Severi chama de "identidade complexa", ou seja, uma condensação de seres e relações que, na vida cotidiana, permanecem incompatíveis, mas que o ritual reúne. (Voyager dans l'invisible)


Dessa maneira, uma viagem dentro do mundo invisível aos nossos olhares tem início com a criatividade imaginativa do indivíduo, capaz de criar objetos e vestimentas, os quais, propiciam para o xamã a viagem no invisível. Segundo os xamãs “Yakuts” que formam o grupo étnico dominante na República da Yakutia (Sakha), um território da Sibéria Central tão grande quanto a Índia, as performances dão origem na sua imaginação de uma legião de modelos e maneiras de como a pessoa poderá atuar na realidade e na virtualidade 


...o traje pertence às tecnologias imaginativas do xamanismo hierárquico: o essencial não é tanto o que o traje representa, mas o que permite fazer e viver no invisível (...) em suas performances, os xamãs Yakut mobilizaram uma série de cartilhas imaginativas que permitiam aos participantes coordenar o espaço imediato e o espaço virtual. (Voyager dans l'invisible) 


A atuação do indivíduo, tanto na realidade, quanto na virtualidade imaginária pode ocorrer de forma semelhante a uma participação em um jogo de gamer, cuja pessoa assume e incorpora as vontades do personagem que mais representa seus desejos e vontades. Por alguns instantes, o sujeito parece estar viajando no mundo criado e projetado por ele mesmo, passa a vibrar ao ver suas regras e imposições vencendo o jogo. Tem a mesma sensação do herói ao encontrar espaços imaginados e até espíritos, sentimentos que também incorpora ao ver um filme ou ler um romance, isto é, faz gestos ao pronunciar palavras como se realmente estivessem naquele espaço imaginário ou virtual.  


O jogador de videogame e o xamã têm mais em comum do que você pode imaginar. Ao se engajar no jogo, o “gamer” passa a ser protagonista de um mundo que tem sua geografia, história e regras; por sua vez, o xamã, ao realizar um ritual de viagem, torna-se o herói de um épico através das montanhas e nuvens para encontrar os espíritos. Ambos desviam a atenção do ambiente atual para mergulhar em um universo paralelo que, distinto do espaço imediato e, no entanto, presente, pode ser denominado espaço virtual. É certo que uma imersão também é vivenciada pelo leitor de um romance ou pelo espectador de um filme, mas o jogador e o xamã fazem muito mais: entram no espaço virtual, se movem ali, fazem gestos, ali se encontram, amigos e brigam com monstros. (Voyager dans l'invisible) 


Este pequeno lampejo que por alguns instantes parece coordenar os movimentos do indivíduo, também pode, ao mesmo tempo, fazer parte do corpo de outras pessoas, numa espécie de rede virtual, compartilhada em espaços diferentes e distantes, unidos apenas pela emoção contagiante de uma imagem, símbolo ou palavra. 


Eles mobilizam o que chamamos de imaginação agente e não apenas contemplativa. Melhor, em ambos os casos uma atividade imaginativa em rede é implantada: os jogadores de uma sala de videogame se envolvem emocionalmente juntos em uma cena virtual e podem ser milhares para fazê-lo em "jogos online multijogador massivo" (jogos online multijogador massivo). (Voyager dans l'invisible) 


Fonte:

Voyager dans l'invisible /Techniques chamaniques de l'imagination

Par Charles Stépanoff / Année : 2019 Pages : 468

https://www.cairn.info/voyager-dans-l-invisible--9782359251586.htm



Para Entender os Rumos de Cada Ser Humano e Suas Decisões.

 



Para Entender os Rumos de Cada Ser Humano e Suas Decisões.

                                                                                                           Joaquim Luiz Nogueira 

Aqui nos deparamos com a atividade latente em cada ser humano, que logo ao despertar para o início de cada dia de sua vida, diversos problemas, entre eles, a saúde, sonhos, pesadelos, financeiros, trabalho, família, entre outros, se tornam as razões suficiente para que a pessoa se levante em busca de soluções.

Tais obstáculos, na maioria das vezes, fogem de qualquer tentativa de compreensão do indivíduo pela via científica, o que leva para questionamentos diversos, do tipo: Porque eu? O que fiz para merecer isso? Porque tenho de passar por isso? E agora, o que fazer? Não vejo caminhos para seguir adiante?

Diante de contextos incompreensíveis pela racionalidade científica, a teoria de Carl Gustav Jung sobre Arquétipos e como podemos carregar algumas emoções através do sistema nervoso, cuja origem, ultrapassam o nascimento do próprio indivíduo. E que tais sentimentos podem surgir na mente, despertados por contextos extremos, espécie de lampejos ou devaneios, que ativam emoções como medo, pavor, angústia e outros.

Desse modo, se você optar pela opinião oferecida pelo filósofo grego Sócrates e também por Jesus Cristo, que recomendaram “Conheça a ti mesmo” e após saber sobre quais os arquétipos que seu sistema nervoso carrega, talvez, possa convencer seu ego a agir de forma diferente, escolhendo alternativas não ditadas pelas emoções viciadas que comandam o corpo de forma automática.

Se o indivíduo não se despertar para a realidade, ele continua numa forma de programação que torna sua rotina previsível, pois uma espécie de piloto automático, assume todas as decisões e escolhas da pessoa, seguindo as orientações de traumas, preconceitos, prazeres, zona de conforto e outros. 

Neste sentido, assim como uma máquina, temos desgastes físicos e mentais devido o uso constante da mesma região do corpo, gerando dores, traumas, doenças, pânico, estresses, depressão etc. Portanto, para obter melhorias na saúde mental e física do corpo, temos que aprender a fazer novas escolhas, agir de maneira diferente diante dos obstáculos, modificar a forma de reação diante dos problemas.  

Devido às rotinas criadas para as famílias ou pelas profissões, as pessoas agem de maneira muito similar a um programa de computador, isto é, cumpre sua jornada diária e faz o melhor possível para atender a função na qual determinaram para ele naquela empresa ou na carreira profissional. A soma destas ações orientadas em nome de valores monetários, religiosos, éticos, burocráticos, ordinários, lineares, entre outras possibilidades padronizadas, retiram das pessoas a liberdade de escolhas para uma vida inédita. 

Uma decisão ou escolha que seja muito diferente dos padrões ditados pela sociedade em que vive, logo coloca o indivíduo no contexto das pessoas que podem significar uma ameaça para ordem linear e padronizada, pois, satisfazer as necessidades individuais para preservar a saúde do corpo, contrasta com as necessidades estatais, das empresas, dos laboratórios, do lucro rápido e dos interesses tecnológicos de consumo. 

Os meios de produção contemporâneos carregam com eles toda uma gama de transformações, entre elas, novas pragas que surgem a cada ano nas plantações, diferentes alimentos são fabricados, diversas doenças ganham o cenário de maneira surpreendente. Temos os efeitos colaterais produzidos em nome dos grandes avanços da agricultura e das empresas modernas, que para manter o sistema próspero, criam novas rotinas, condutas e formas de nutrição em todo o mundo. 

No entanto, as escolhas ou decisões do indivíduo, quando ele possui a liberdade para poder optar de forma diferente, isto é, construir uma conduta saudável para sua saúde, logo, enfrentará as críticas das pessoas vinculadas ao sistema, cujas condutas são padronizadas e conduzidas de forma automática, obedecendo as normas e regras aprovadas por uma espécie de senso comum. 


http://blog.autoresfree.com.br/2017/04/acoes-humanas-desenvolvidas-com-base.html


Comprendre les orientations de chaque être humain et ses décisions.

 Joaquim Luiz Nogueira 

Nous sommes ici confrontés à l'activité latente de chaque être humain, qui, au réveil pour le début de chaque jour de la vie, plusieurs problèmes, dont la santé, les rêves, les cauchemars, les finances, le travail, la famille, entre autres, deviennent les raisons suffisantes pour la personne à se lever à la recherche de solutions.

De tels obstacles, dans la plupart des cas, échappent à toute tentative de compréhension de l'individu par la voie scientifique, ce qui conduit à diverses questions, telles que : Pourquoi moi ? Qu'ai-je fait pour mériter cela? Pourquoi dois-je passer par là ? Et maintenant, que faire ? Vous ne voyez pas comment aller de l'avant ?

Face à des contextes incompréhensibles par la rationalité scientifique, la théorie de Carl Gustav Jung sur les Archétypes et comment nous pouvons transporter certaines émotions à travers le système nerveux, dont les origines vont au-delà de la naissance de l'individu. Et que de tels sentiments peuvent surgir dans l'esprit, réveillés par des contextes extrêmes, sortes de flashs ou de rêveries, qui activent des émotions telles que la peur, l'effroi, l'angoisse et autres.

Ainsi, si vous choisissez l'opinion proposée par le philosophe grec Socrate et aussi par Jésus-Christ, qui a recommandé « Connais-toi toi-même » et après avoir connu quels archétypes porte votre système nerveux, peut-être pourrez-vous convaincre votre ego d'agir différemment, en choisissant des alternatives non dicté par les émotions dépendantes qui commandent automatiquement le corps.

Si l'individu ne s'éveille pas à la réalité, il continue dans une forme de programmation qui rend sa routine prévisible, comme une sorte de pilote automatique, assume toutes les décisions et choix de la personne, suivant les lignes directrices des traumatismes, des préjugés, des plaisirs, de la zone de confort et autres.

En ce sens, tout comme une machine, nous avons une usure physique et mentale due à l'utilisation constante de la même région du corps, générant douleur, traumatisme, maladie, panique, stress, dépression, etc. Par conséquent, pour améliorer la santé mentale et physique du corps, nous devons apprendre à faire de nouveaux choix, à agir différemment face aux obstacles et à changer notre façon de réagir aux problèmes.

En raison des routines créées pour les familles ou par les professions, les gens agissent de manière très similaire à un programme informatique, c'est-à-dire qu'ils accomplissent leur cheminement quotidien et font de leur mieux pour remplir le rôle qu'ils ont déterminé pour eux dans cette entreprise ou cette carrière professionnelle. La somme de ces actions orientées au nom de valeurs monétaires, religieuses, éthiques, bureaucratiques, ordinaires, linéaires, entre autres possibilités standardisées, prive les gens de la liberté de choix pour une vie sans précédent.

Une décision ou un choix très différent des normes dictées par la société dans laquelle il vit, replace donc l'individu dans le contexte des personnes qui peuvent constituer une menace pour un ordre linéaire et standardisé, car répondre à des besoins individuels pour préserver la santé de le corps, contraste avec les besoins de l'État, des entreprises, des laboratoires, des profits rapides et des intérêts technologiques des consommateurs.

Les moyens de production contemporains entraînent avec eux toute une série de transformations, dont de nouveaux ravageurs qui apparaissent chaque année dans les plantations, différents aliments sont fabriqués, diverses maladies prennent le devant de la scène de manière surprenante. Nous avons les effets secondaires produits au nom des grandes avancées de l'agriculture et des entreprises modernes, qui, pour maintenir le système prospère, créent de nouvelles routines, comportements et formes de nutrition dans le monde entier.

Cependant, les choix ou décisions de l'individu, lorsqu'il a la liberté de choisir différemment, c'est-à-dire de construire un comportement sain pour sa santé, seront donc confrontés aux critiques de personnes liées au système, dont les comportements sont standardisés et conduits automatiquement, obéissant aux normes et des règles approuvées par une sorte de bon sens.


http://blog.autoresfree.com.br/2017/04/acoes-humanas-development-com-base.html

To Understand the Directions of Each Human Being and Their Decisions.

 Joaquim Luiz Nogueira 

Here we are faced with the latent activity in every human being, which, upon awakening for the beginning of each day of life, several problems, including health, dreams, nightmares, financial, work, family, among others, become the reasons enough for the person to get up in search of solutions.

Such obstacles, in most cases, escape any attempt to understand the individual through the scientific route, which leads to various questions, such as: Why me? What have I done to deserve this? Why do I have to go through this? And now, what to do? Don't see ways to go forward?

Faced with contexts incomprehensible by scientific rationality, Carl Gustav Jung's theory on Archetypes and how we can carry some emotions through the nervous system, whose origins go beyond the birth of the individual. And that such feelings can arise in the mind, awakened by extreme contexts, sort of flashes or daydreams, which activate emotions such as fear, dread, anguish and others.

Thus, if you choose the opinion offered by the Greek philosopher Socrates and also by Jesus Christ, who recommended “Know thyself” and after knowing what archetypes your nervous system carries, perhaps you can convince your ego to act accordingly. different, choosing alternatives not dictated by the addicted emotions that command the body automatically.

If the individual does not wake up to reality, he continues in a form of programming that makes his routine predictable, as a kind of autopilot, assumes all the decisions and choices of the person, following the guidelines of traumas, prejudices, pleasures, zone of comfort and others.

In this sense, just like a machine, we have physical and mental wear and tear due to the constant use of the same region of the body, generating pain, trauma, illness, panic, stress, depression, etc. Therefore, to achieve improvements in the body's mental and physical health, we have to learn to make new choices, act differently when faced with obstacles, and change the way we react to problems.

Due to the routines created for families or by professions, people act very similarly to a computer program, that is, they fulfill their daily journey and do their best to fulfill the role they have determined for them in that company or career. professional. The sum of these actions oriented in the name of monetary, religious, ethical, bureaucratic, ordinary, linear values, among other standardized possibilities, deprive people of the freedom of choice for an unprecedented life.

A decision or choice that is very different from the standards dictated by the society in which they live, therefore places the individual in the context of people who can pose a threat to a linear and standardized order, as meeting individual needs to preserve the health of the body, contrasts with the needs of the state, companies, laboratories, quick profits and technological consumer interests.

Contemporary means of production carry with them a whole range of transformations, including new pests that appear every year on the plantations, different foods are manufactured, various diseases take the stage in a surprising way. We have the side effects produced in the name of the great advances of agriculture and modern companies, which, in order to keep the system prosperous, create new routines, behaviors and forms of nutrition around the world.

However, the individual's choices or decisions, when he has the freedom to choose differently, that is, build a healthy behavior for his health, will therefore face criticism from people linked to the system, whose behaviors are standardized and conducted automatically, obeying the norms and rules approved by a kind of common sense.


http://blog.autoresfree.com.br/2017/04/acoes-humanas-developed-com-base.html

O Encontro Com o Grande Vazio

                                                                                                                  Joaquim Luiz Nogueira É al...