O mito da aprendizagem prazerosa

Prof. Joaquim Luiz Nogueira 

A renuncia  aos  estudos não é a única consequência que muitos estudantes podem tirar da descoberta de que não necessitam de aprender os conteúdos escolares para a continuidade de uma vida pós infância. Eles partem  da irrealidade do mundo, isto é, seguem o caminho do chamado “pensamento não dirigido” termo usado por JUNG em seu livro “Símbolos da transformação”, significa que renunciam a tudo que exija esforço elevado ou sacrifício, sendo assim, preferem optar por estabelecer como verdade qualquer objeto que venha surgir na sua mente.
Este é o caminho da continuidade de uma infância sem limites ou obstáculos, uma vivência na irrealidade, sob uma lógica prazerosa, algo que não parece representar perigo ao equilíbrio social de acordo com estes estudantes. As atividades desta vida prazerosa versos o cotidiano ativo, prega que cada um deve seguir seu próprio caminho e realizar desejos como sinônimo de deveres.
Neste sentido, tudo que necessita de esforço, concentração e sacrifício torna-se futilidade. Assim, renunciam a uma continuidade histórica com base no empenho e na disciplina.  Essa abertura para o mundo divertido e prazeroso, sem limitações se transforma  em mito e garante a continuidade desta ordem na sociedade via consumo, perspectiva que torna ilusória o tempo histórico.
O mito do tempo prazeroso rasga a realidade do tempo histórico e revela a irrealidade como caminho do progresso. Ao renunciar aos esforços  e buscarem somente ações prazerosas, demonstram não esperar resultados de ações que exigem esforços ou disciplina. O fato de não acreditarem na realidade de seu tempo é uma forma de se projetarem na imediata irrealidade.

A abertura para todos os ritmos da vida de seu tempo via tecnologia é algo admirável, pois  expõe o mito infinito de uma trajetória rumo a felicidade. Tais estudantes recebem a graça do mergulho neste mito da aprendizagem prazerosa, definida por alguns filósofos da educação como rumo ao mercado financeiro, cujas escolas, também recebem orientações para ouvir tais desejos deste poder mágico da aprendizagem divertida e sem traumas, pois segundo eles, indicam sinais de um novo tempo histórico.   

A Simbolização da Grandiosidade pelo Indivíduo

A Simbolização da Grandiosidade pelo Indivíduo  Joaquim Luiz Nogueira  A construção do Individuo pelo símbolo - Parte 5  Press...