O FUTURO DO MUNDO “METAVERSO”: AVATARES E HUMANOS.

 

Fonte imagem: https://9to5mac.com/2021/10/28/facebook-officially-changes-its-name-to-meta/https://tech.fb.com/ar-vr/ 

                                                           Joaquim Luiz Nogueira 


“metaverso” - sua plataforma de realidade mista em funcionamento.

No logotipo de lançamento desta plataforma surreal, temos uma denominação  representada pelo  símbolo do infinito e logo a sua frente a palavra meta e se partirmos deste ponto para  nossa  tentativa de jogar com a multiplicidade de possibilidades que podem ser criadas ou construídas para ampliarmos coisas como realidade material,  imaginação humana e por último refletirmos sobre: as mentes livres que desenvolvem tais metas, nas quais, possuem potenciais de abrangências para navegações numa infinitude de mundos reais.

Este universo de realidade material e humana carrega toda uma gama de problemas, cuja solução, envolve também uma complexa e delicada rede de poder econômico que se apresenta de forma entrelaçada em todos os ramos da atividade humana no planeta, cujo lançamento de qualquer novidade tecnológica, não avança sem uma variedade de filtros impostas por grandes corporações do mundo conectado por interesses econômicos.  

Neste sentido, a plataforma promete oferecer “novas maneiras de experimentar trabalho, diversão, exercícios, entretenimento e muito mais” Portanto, o leque de possibilidades para o desenvolvimento de como aproximar produtos e espaços de pessoas, numa velocidade quase que instantânea, promete uma revolução no campo da comunicação entre produtores e consumidores.

Veja esta frase de lançamento da plataforma “Para refletir quem somos e o que esperamos construir. Tenho o orgulho de anunciar que nossa empresa agora se chama Meta” É na reflexão de quem somos no mundo real e na maneira de como agimos ao longo dos últimos séculos, em relação aos últimos avanços tecnológicos, no sentido de pensarmos sobre: quem foi beneficiado pelas grandes invenções da humanidade?  

No universo desta inovadora plataforma, segundo seus idealizadores, será “um lugar onde jogaremos e nos conectaremos em 3D. Bem-vindo ao próximo capítulo da conexão social” Este espaço de realidade prometida, só como um exemplo muito significativo para introdução do assunto, podemos recordar o primeiro Filme de MATRIX, quando Morpheus leva o personagem protagonista para a realidade virtual e lhe mostra a realidade com a frase: “Bem Vindo ao Deserto do Real”.

No entanto, a realidade aumentada a partir dos olhos humanos conectados ao equipamento de 3D, desenvolvido e projetado para fazer o encontro entre materialidade e virtualidade, isto é, mostrar ao usuário, um universo em que ele pode interagir com espaços e mundos virtuais, porém, com a possibilidade de tocar com as mãos os objetos e cujo cérebro do indivíduo, por não saber controlar o efeito placebo do gesto, passa a liberar emoções relacionadas ao produto ou ao universo visualizado.

Atualmente, os aparelhos tecnológicos “mergulham as pessoas em ambientes virtuais 3D”, porém, com os novos óculos 3D de realidade aumentada “as imagens são geradas por computador e as sobrepõe em sua visão do mundo”. Trata-se do encontro entre aquilo que observamos com nossos olhos e a realidade construída no computador.

A nova tecnologia de realidade virtual “nos permite explorar novos mundos, desafiar obstáculos e tentar o impossível. E graças à magia da presença - a sensação de que você está compartilhando o mesmo espaço com outras pessoas”

Para os idealizadores da nova plataforma de interação entre pessoas, agora “Ao incorporar interatividade e o ponto de vista literal do espectador, as experiências de RV reimaginam o papel do público como co-conspirador e agente ativo, em vez de simplesmente um participante passivo”.

Nesta nova forma de ver o mundo, “Você pode explorar o espaço sideral, entrar na história e se conectar com amigos”. Portanto, além do indivíduo poder caminhar por mundo imaginários (desde que projetado na memória do aparelho), também, poderá convidar os colegas para caminhar juntos em cenários virtuais.  

Neste contexto virtual no qual pode servir para encontros de pessoas reais, porém, como avatares perfeitos, sem doenças, livre de dores. Localidades que juntos com outras pessoas poderão praticar toda espécie de aventura neste mundo novo, já que não há perigo para o corpo físico. No entanto, para a saúde mental de adolescentes, jovens e até adultos, a rotina dos supostos avatares podem tornar-se muito mais interessantes do que a realidade.

Quando os idealizadores desta plataforma nos dizem que “podemos aproveitar essa tecnologia para gerar mudanças sociais significativas”. Não há dúvidas sobre as transformações que serão visualizadas e até sentidas pelas pessoas, que passarão a dividir suas 24 horas diárias em três etapas: sono, vida avatar e vida real. A forte tendência para que a vida virtual se torne muito mais atrativa para os indivíduos do que a vida real, que exige dele esforço, sacrifício, sofrimento, problemas financeiros, entre outros obstáculos que acompanha o corpo físico.

Nos novos aparelhos de realidade virtual, afirma os idealizadores que eles oferecem “a experiência mais envolvente possível. Controladores de toque totalmente monitorados com seis graus de liberdade trazem suas próprias mãos para o espaço virtual para uma sensação de presença ainda maior”.

São as novas sensações trazidas pelas próprias mãos mergulhadas na realidade virtual, que conecta o cérebro humano pelo efeito placebo e estimula a produção de proteínas ou substâncias por meio de células, aprovando a continuidade, a repetição e até uma possível permanência neste mundo virtual de avatares.

O futuro prometido pelo Facebook nos “permitirão combinar os mundos real e virtual livremente”. Mundos virtuais que se “tornarão tão universais e essenciais quanto smartphones e computadores pessoais são hoje, mudando a forma como trabalhamos, jogamos, e se conectar”.

Para concluir nossa analise, veja o que diz os idealizadores: “Estamos desenvolvendo todas as tecnologias necessárias para habilitar óculos e fones de ouvido de realidade virtual inovadores, incluindo ótica e monitores, visão computacional, áudio, gráficos, interface cérebro-computador, interação háptica, rastreamento de corpo inteiro, ciência da percepção e telepresença verdadeira”

 

Fonte https://9to5mac.com/2021/10/28/facebook-officially-changes-its-name-to-meta/

https://tech.fb.com/ar-vr/   


Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Encontro Com o Grande Vazio

                                                                                                                  Joaquim Luiz Nogueira É al...